***Maju Parente***

 

 

 

Pita é uma coelha linda. Olhos grandes e brilhantes, pêlo branquinho e muito esperta. Tinha tudo para ser feliz, mas não é.

Ela é um pouquinho diferente das outras coelhas.

 

 

 

 

Pita nasceu com uma orelha só, por esse motivo ela nunca sai da toca, ou quando sai, corre rapidamente de uma moita para outra para que ninguém a veja.

 

 

A coelhinha Pita vive a lamentar-se:

- Ai, ai, quem me dera ser igual a todos os outros coelhos, ter duas orelhas, só assim eu poderia andar livremente sem precisar me esconder. Não tenho ninguém. Quem poderá gostar de uma coelha com uma orelha só. Terei que passar o resto da minha vida escondida para que ninguém me veja.  

 

Neste momento, passava uma carreirinha de formigas trabalhadeiras que cortava caminho por dentro da toca de Pita e ouviram as lamentações da pobre coelha.

As formiguinhas resolveram então parar um pouco para conversar e consolar a coelhinha.

- Pita, ô Pita ...

Imediatamente a coelhinha coloca as patinhas na cara para esconder-se.

- Ai meu Deus, estão me chamando, o que faço agora, ninguém pode me ver.

- Somos nós, Pita, as formigas trabalhadeiras.

- Formigas ! Como vocês entraram aqui ?

- Pela porta, disse uma delas. Você está tão preocupada em passar a vida se lamentando que até esquece de olhar o mundo ao seu redor.  

Disse então uma outra:  

- Várias vezes nós cortamos caminho por aqui. Fazemos questão de cumprimentá-la, mas você não nos ouve, aí então seguimos nossa viagem.

- Ué, e vocês não me acharam feia e diferente?  

Outra formiga respondeu então:  

- Não! Você é uma coelha como outra qualquer, ou melhor, até mais bonita.  

- Ah, isso não, falta-me uma orelha. Vocês já viram coelhos com uma orelha só?

  

As formiguinhas riram da ingenuidade de Pita e responderam:

- Nós andamos muito por esse mundão que Deus criou e já vimos muita coisa. Ninguém é igualzinho a ninguém, todos nós temos alguma coisa diferente, mas nem por isso podemos nos sentir diferentes.  

 

- Sabe, Pita, falou umas das formigas. Eu mesma nasci sem uma patinha, mas nem por isso me escondi, estou aqui, com minhas amigas trabalhando e me divertindo. Pare de se esconder e vá aproveitar a vida fazendo amigos.

- Já  paramos muito tempo. Vamos seguir viagem.

 

Gritou o chefe da fileira.

E as formigas foram embora.  

 

Pita ficou sozinha pensando em tudo que as formigas falaram e tomou uma decisão:

- De hoje em diante vou viver uma vida normal como todos os outros, vou passear e fazer amigos.  

Pita se perfumou, tomou coragem e saiu.

Saiu com medo, mas saiu sorrindo.

No início, todos estranharam a coelhinha de uma orelha só, mas depois de alguns dias, todos os bichinhos começaram a gostar de Pita. Ela era tão bonita e simpática que a orelha nem fazia falta.

 

A cada dia, Pita fazia mais e mais amigos, todos queriam conhecer a coelhinha de uma orelha só.  

 

Um belo dia, num lugar muito distante chegou a notícia que havia uma coelha muito famosa, simpática e bonita de uma orelha só.

Carlão era um coelho negro lindo e ficou muito feliz ao ouvir a notícia.

- Vou correr o mundo todo se preciso for para conhecer essa coelha especial, disse Carlão.

E assim fez.

Viajou muito, até chegar ao lugar onde Pita morava.  

 Foi fácil, pois todos sabiam onde era a casa da coelhinha.  

Quando foi se aproximando, ouviu ela cantar:

- Que bom que eu aprendi a ter amigos e a cantar obrigada formiguinhas por essas coisas me mostrar.

Então Carlão cantou:

- Vim de muito longe pra conhecer alguém igual a mim a distância não impediu de te achar neste mundo sem fim.

Neste momento Pita e Carlão se olharam.

Pita se admirou ao ver que Carlão também só tinha uma orelha.

Eles se olharam mais uma vez e nasceu ali um grande amor.

 

 

 

 

 

Pita e Carlão se beijaram e foram felizes para sempre.

 

 

História enviada pela Professora Mara