A fada é um ser fantástico, que protege os seres humanos ou intervém magicamente nos seus destinos para evitar malefícios, desfazer encantamentos ou feitiços provocados pelos seres do mal.

 

Surge nas situações de perigo, nas dificuldades amorosas, nas aventuras imprevisíveis e, sobretudo, no combate às bruxas.

Sua forma é a de uma linda mulher. Algumas têm asas de borboleta.

 

Seu vestido é esvoaçante e costuma trazer uma tiara na cabeça com uma estrela luminosa.

As mais antigas trazem também uma varinha de condão, com poderes mágicos.

 

 

Sua aparição é súbita e, ao desaparecer, torna-se invisível, seu estado normal.

 

 

Os lugares mais fáceis de encontrar uma fada são os bosques e florestas, as hortas, quintais e jardins, as ruas com árvores e flores, as praças com fontes de água.

 

 

 

 

 

 

Nas casas ela gosta de ficar nas cozinhas e perto de sofás macios.

 

Habitualmente come pouco, gostando muito de arroz, couve-flor e salada de alface.

 

 

 

 

Adora pudim de leite, bolo de chocolate, manjar branco e algodão-doce. Sente-se mal com comidas temperadas com pimenta-do-reino, cebola e muito sal.

 

Não gosta de acordar cedo e se distrai ouvindo música ou brincando de roda. De resto, é excelente bailarina.

As fadas tornaram-se famosas por causa dos contos de fadas, onde aparecem como personagens coadjuvantes ou auxiliares de heróis e heroínas.

 

A Gata Borralheira tinha uma fada-madrinha, protetora.

 

A Bela Adormecida escapou da maldição de morte feita por uma fada má

(na verdade, uma bruxa)

 

 

 

pela interferência de fadinhas bondosas, que transformaram a morte da maldição num sono profundo e prolongado.