Vou contar para vocês, a história comovente de um soldadinho de chumbo. Forte, arrojado e valente.

Eles eram vinte ao todo.

Vinte lindos soldadinhos, feitos de chumbo, é verdade. Mas todos bem iguaizinhos.

Um, no entanto era cotó. Pois tinha uma perna só.

 

 

 

E dentro de uma caixinha, foram dados de presente, a um gracioso menino, que ficou muito contente.

Na hora de dormir, deixou-o de guarda.

Mas, só por uma noite somente.

 

E os brinquedos, mas que travessos, ei-los todos a pular. Vendo se só os sabidos, aproveitam para dançar!

E as horas passam ligeiro. Enquanto ele vão brincando, o relógio da parede, meia noite, está marcando.

 

 

 

 

 

Vejam só, é o feiticeiro! Saiu da caixa sem custo e o pobre do soldadinho, quase que morre de susto!

 

 

 

Mas, ai... o que fez o vento!

Escancarou a janela!

E o soldadinho de chumbo, cai da janela ligeiro, cumprindo-se finalmente a praga do feiticeiro.

 

Mas vejam no entanto, a sorte do soldadinho perneta, foi cair espetado, na ponta da baioneta. E começou a chover, veja que situação ficou o pobre soldado, só naquela posição.

 

 

 

 

Dois meninos o encontram e fazem um barquinho de papel para o pobre soldadinho navegar.

 

 

 

 

E o barquinho foi boiando... navegando... navegando, da sarjeta para o rio, o soldadinho levando.

 

 

 

 

Surgiu no entanto um perigo, desta ou daquela maneira, foi o barquinho cair, nas águas da cachoeira. E chega ao fundo do rio, o soldado valoroso.

 

 

E dele já se aproxima, um peixe grande e guloso.Mas assim que o engoliu, veja só o que sentiu!

 

 

 

 

 

O peixinho guloso, pouco gritou, sim senhor! Pois foi cair, bem depressa, nas redes de um pescador.

 

 

 

E a cozinheira mal viu, um tão bonito pescado e foi logo pensando em preparar um ensopado.Mas vejam, que coincidência! Lá vai a criada entrando, na mesma casa em que esteve, o soldadinho morando.

 

 

Mas assim, que ela cortou o peixe, veja só o que encontrou!

Isto é mesmo admirável, difícil de acreditar. Vejam só, de que maneira, ele conseguiu voltar.

 

 

E agora, mas que alegria, em meio a risos, folguedos, ele voltou novamente para a mesa dos brinquedos.Que grande felicidade ele deve estar sentindo, vendo a linda bailarina a contemplá-lo sorrindo.

 

 

 

Porém na caixa fechada, estremece o feiticeiro.

O que estará planejando, aquele bruxo matreiro!

 

E o menino satisfeito, brinca alegre, novamente com o soldadinho de chumbo.

Mas no entanto, de repente...!

Vejam só, mas que tristeza! Isto ainda é praga do ogro! O soldado escorregou e caiu dentro do fogo e desse modo amiguinhos, ele vai se derretendo.

 

 

 

 

Mas não fiquem assustados, pois ele não está morrendo! Ele só será um novo brinquedo.

 

 

 

 

 

E a linda bailarina, deu um salto direitinho, para dentro da fogueira, onde estava o soldadinho.

 

 

E pela manhã seguinte, viram todos, que emoção!

Os dois juntos transformados, num bonito coração.

O Soldadinho de Chumbo é um conto de fadas escrito por Hans Christian Andersen e publicado pela primeira vez em 1838.